Mairus Webber

Presunto

2094
1422
0802
2009
Os caminhões que dominavam as estradas do Brasil nos anos 70 e 80
Domingo, 8 de Fevereiro de 2009 - 14:22
Mairus Webber

Mercedes-Benz 1111


Mercedes-Benz 1113


Mercedes-Benz LP321 “cara chata”


Scania Vabis 110


Scania Saab 112 “cara chata”


Scania Saab 112 de cabine recuada


Volvo N10


FNM D-11.000 Standard 1954-1965


FNM D-11.000 Standard 1966-1972


FNM 180

Quando eu era criança e viajava muito de carro, de Curitiba para Barra Velha com meus avós e de Curitiba para o Rio com meu pai, reparava muito, era mesmo fascinado (e ainda sou) pelos caminhões que via na estrada, e sempre reparei muito nos seus estilos, seus adereços, seus modelos, suas marcas, suas pinturas… sim, eu já havia decidido que quando eu crescesse seria caminhoneiro.
Me lembro muito bem dos modelos daquela época, nos anos 70 e 80.
Os mais comuns eram os Mercedes-Benz 1111 e 1113, que tinham uma aparência suave e amistosa, uma testa franzida, um tanto feminina, eu diria, nesta mesma linha os meus preferidos eram os lindíssimos Mercedes-Benz LP-321, de Cara Chata.
Os caminhões de cara chata sempre foram os meus preferidos.
Havia também o Scania 112 “cara chata”, com linhas arestosas e agressivas, sem sentimentos, duras, era um belíssimo caminhão… havia também o Scania 112 de cabine recuada, parente direto do outro, suas linhas aparentavam um pouco mais de sentimento, mas era igualmente assustador por causa do seu tamanho e imponência… linhas modernas para a época… Outro muito parecido com esses Scania eram os Volvo N10, de linhas moderníssimas, cabine recuada, de uma expressão que sugeria potência, com 10 marchas e turbinados.
Da Scania Vabis tinham os modelos mais antigos, laranjões clássicos, Scania Vabis 110, eram amistosos, de linhas mais arredondadas e uma cara de “cachorro amigo”, que também dominavam as estradas.
Outro dia eu fiz uma pesquisa por “Scania Vabis” na wikipedia, que me levou para uma página com uma enorme galeria de caminhões e ônibus antigos, e que despertou essa curiosidade de procurar na Internet os velhos caminhões que eu via pelas estradas nos anos 70 e 80… e por conta da minha preferência pelos caminhões de cara chata, foi que eu resolvi procurar os mais assustadores e carrancudos caminhões das estradas, os D-11.000, da FNM, ou para os íntimos, os “Fenemê”.
Pesquisinha básica no Google, e acabei caindo no site do Osvaldo, o “Alfa-FNM Uma Paixão FeNoMenal” entusiasta e autoridade no assunto, um site que fornece informações detalhadas sobre os pormenores dos caminhões fabricados pela empresa Brasileira.
Suportado por outros fanáticos por FNM, o site oferece uma infinidade de fotos de época, anúncios escaneados, fotos de caminhões restaurados, alguns com chapa preta de colecionador, lindíssimos, de babar…
No site tem a descrição de todas as cabines já fabricadas pela empresa, com datas, detalhes dos seus acabamentos, quantos modelos foram fabricados de cada modelo, em quais cores (!!!)… enfim, foi para mim uma grata surpresa encontrar um site de tal quantidade e qualidade de conteúdo, e tudo organizado de forma muito competente em um site movido a WordPress em seu tema default, o Kubrick.
Se você gosta do assunto como eu vai se esbaldar com a quantidade de informações e curiosidades sobre a Fenemê, ou se nem liga muito, vale pelas pencas fotos de reluzentes caminhões que o site abriga.
Abaixo algumas fotos que o Osvaldo me enviou em alta resolução, e gentilmente me autoriuzou a usa-las para enriquecer o Presunto, o maior blog do Universo.
O caminhão de cima é um FNM D-11.000 com a cabine do modelo “Brasinca” de 1954 a 1962, o do meio é um FNM D-11.000 com a cabine standard, fabricada entre 1954 a 1965, e o de baixo, outro FNM D-11.000, com a cabine standard, fabricada de 1965 a 1972.
Obrigado Osvaldo e parabéns pelos trabalho.

Topo da página Página inicial do blog

28 comentários para “Os caminhões que dominavam as estradas do Brasil nos anos 70 e 80”

Deixe seu comentário

Nome*:

e-Mail**:

Site:

Comentário

* Campo obrigatório
** Campo obrigatório. Não será publicado.

Mairus Webber Comunicação Visual 1990-2008