Mairus Webber

Presunto

4101
1335
2410
2012
Comprei um notebook Dell que dá pau e já fazem dois meses que eles não conseguem consertar e se recusam a trocar
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2012 - 13:35
Mairus Webber

 
O computador trava, o suporte já interveio três vezes sem sucesso e a Dell se recusa a trocar a minha máquina por causa da “política interna da empresa”
 

Dell

Quando eu resolvi comprar um notebook Dell foi pensando na credibilidade da marca – vou comprar uma máquina de grife para não me aborrecer – pensei, e hoje, dois meses depois, posso dizer que nunca mais vou comprar nem um mousepad que seja, da negligente e burocrática Dell.
 

Esperei o longo prazo entre a compra onLine e a entrega do produto numa boa, afinal eles vão montar a minha máquina e testa-la, vai valer a pena pois vai chegar um poderoso notebook i5 de um terabyte de HD, que vai tornar a minha vida muito mais eficiente.
 

A máquina chegou, comecei a usa-la, e não demorei a perceber que ela travava sistematicamente. Da primeira vez eu estava dando um resize em um arquivo de imagem muito grande e pesado, e achei que tinha pegado pesado com a máquina, já que ela só tinha 4 gigabytes de ram, e deixei passar, mas uma semana depois liguei a máquina para acessar o internet e já ao ligar o Google Chrome ela travou feio e deu boot sozinha com checkdisk (!!!). Não havia mais dúvida para mim que a máquina estava com defeito.
 

Com algo como duas semanas de uso eu liguei para a Dell e o gentil atendente me disse que pela minha descrição a falha era do Windows, e me orientou a formatar o HD e retornar a máquina para as configurações de fábrica. Eu fiz, e voltei a usar a máquina cheio de esperança de que o problema estivesse resolvido, mas não, ela não demorou a travar novamente. Tudo indicava que o problema era mesmo de hardware.
 

Telefonei novamente para o suporte da Dell e pedi que me trocassem a máquina, pois precisava muito começar a trabalhar com ela logo de uma vez, ao que o atendente me respondeu que a Dell não trocava máquinas depois de o prazo de uma semana ter se passado, independente de qual o problema que ela apresente. Essa informação me deixou muito chateado, pois não refletia a segurança e tranquilidade que me foi passada pelo primeiro atendente que havia falado comigo a algo como uma semana atrás. Eu teria que me dar por satisfeito com a visita de um técnico da Dell à minha residência, mas essa visita não poderia ser agendada naquele momento, em vez disso eu teria de esperar por cinco dias úteis para que a Dell me telefonasse para agendar o meu atendimento domiciliar, onde seria trocada a placa-mãe do meu computador. Se eu precisava da máquina o mais rápido possível para trabalhar, isso obviamente não era problema da Dell.
 

A esse momento a minha avaliação do atendimento da Dell já tendia a zero.
 

Esperei o contato da Dell, afinal nada mais me restava fazer, e marquei para quinta passada a visita do técnico. Nesse meio tempo, em uma das travadas do computador, o meu mouse Microsoft Wireless USB de cento e poucos reais pifou, o que comuniquei a Dell, que prontamente me deu a solução: “provável coincidência”.
 

A visita foi muito simples. O técnico chegou na minha casa, puxou da bolsa um pente de memória ram para trocar pelo da minha máquina. Eu perguntei pela placa-mãe que o atendente me disse que ele iria trocar, e o técnico disse que tinha sido orientado a trocar apenas a memória ram. “Mas nem um HD novo você trouxe?” eu perguntei… ele trocou a memória, testou a máquina por meia hora e foi-se embora. Uma hora depois disso a máquina já estava travando novamente. Liguei de novo para a Dell que desta vez já marcou imediatamente uma nova visita, para segunda-feira.
 

Segunda-feira, 11h, e chega o mesmo técnico da Dell, o simpático Alexandre, desta vez com uma placa-mãe nova para substituír a que estava em minha máquina. Ele fez, e já no primeiro teste o micro travou de novo. E de novo. E perguntei pelo meu mouse, e o diagnóstico “coincidência” continuava predominante, e se foi, me orientando a aguardar novo contato da Dell.
 

Hoje escrevo esse post, esperando mais cinco dias úteis que a Dell me deu para o “time superior” analisar o meu problema e mandar novas peças para o Alexandre trocar na minha máquina, que continua a dois meses como peso de papel na minha mesa.
 

Era muito, mas muito mais fácil ter trocado a minha máquina logo no primeiro momento. Eu estava feliz, trabalhando com o meu lindo notebook i5, meus clientes satisfeitos com os prazos cumpridos, e a Dell com um cliente feliz. Nada disso vale para a Dell. A burocracia e a negligência falam mais alto. Adeus, Dell.

Topo da página Página inicial do blog

Deixe seu comentário

Nome*:

e-Mail**:

Site:

Comentário

* Campo obrigatório
** Campo obrigatório. Não será publicado.

Mairus Webber Comunicação Visual 1990-2008